Maktub

Já fui tão certo

Mas agora tão incerto

Meus medos são reais

Vê-la e não saber

O que pensar ou fazer

 

Noites perdidas pensando

E ainda não sei

O que aconteceu comigo

Quando nossos olhos se encontraram

 

Agora com medo

Não sei o que falar

 

Talvez palavras

Nunca serão sentimentos

 

Nossas tortas histórias

Escritas foram

Para que um dia

Se cruzem

 

Dia que espero arduamente

O dia em que palavras

Não serão necessárias

O dia em que sensações

Serão incontáveis

 

Enquanto isso

Sonhos me acanham

Pela simples possibilidade

De ver

Como juntos

Seríamos

-P.T.

Pura sensação

Meu senso foi perdido

Em seu sorriso

Junto com a certeza

Você me fez a pessoa mais indecisa

Mas com uma certeza

Pois entre tantas duvidas

Você era minha certeza

Quero que seja assim

Para que no futuro

Hoje não seja somente mais

Uma lembrança triste

Triste como oportunidades perdidas

Momentos que hoje não perderia

Que só perdi por medo

Medo de não ser suficiente

Ou talvez aceitação

Que não conseguiria

Medo que o tempo me mostrou

Que meu único erro

Foi pensar

Como estou hoje

Errando continuamente

Sem poder fazer

Ou saber o que fazer

Pois você me machucou

Da forma mais profunda

Me deixando sem saída

Meus pensamentos

Estao me matando

Meus sonhos

Não me deixam dormir

Espero que um dia

Ainda possamos estar juntos

Pois enquanto você está ai

Eu estou aqui

Pensando em nosso encontro

E como direi

O que não pode ser dito

Mas sentido

P.T.

 

Não perca mais textos do Literatura de Metrô! Clique aqui e entre na nossa lista de e-mails!

Impotência do amar

Como é difícil

Se afastar

Do que já foi meu tudo

 

Por que?

Porque é necessário

Posso sofrer

Mas ela não

Ela não merece

Saber o que é

Querer mas não poder

 

Ela merece ser livre

Mesmo sabendo de minha necessidade

Não quero atrapalhá-la

Seu caminho é tão belo

Não precisa de outro obstaculo

 

Mas meu amor por ela é tão grande

Não quero deixá-la

Meu amor por ela

Faz o infinito ficar pequeno

Faz o tempo ser desprezível

Faz o espaço ser algo insignificante

 

Tolos são aqueles

Que dizem

Quem ao se afastar

Nada sentirão

Errados eles estão

Pois não importa

Se amou

Abriu uma ferida

Que nenhuma cicatriz curará

Um espaço

Nunca será coberto

Uma falta

Que não será satisfeita

 

P.T.

Não perca mais textos do Literatura de Metrô! Clique aqui e entre na nossa lista de e-mails!