Gratidão à obra

Tem dias que levantar da cama é só a primeira vitória
Enfiar algo na guela é por sobrevivência
Se depender de mim só como na última ceia
Pronto pra ir pra cruz

Há momentos que o sol é a desgraça
Por me lembrar que vivo
Que ando, sento
Não só existo

Até olhar no espelho é difícil
Olhar alguém odiado
Que não para de seguir e imitar

Minha única salvação
Acho que foi a poesia
Sem ela já tinha sido levado à muito.

-R.C.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s