​Rotina

Cada vez mais eu vejo
Que não adianta me esconder
Em atitudes diferentes
Em novos lugarejos
Parece que seu espírito me segue
E agora entendi que não era amor
Era rotina
E não tem aspirina
Que tira essa falta
Dada por sua ida
Você longe assalta
Toda minha vida
Antiga, todos os costumes
Só te esqueço nos cumes
De mudanças bruscas
Mas é só estabilizar
Que vem memória que suga
E só sobra embebedar
E chorar
Ou de novo mudar
Tudo pela fuga
Dessa dor eterna
Mais interna
Meus sentimentos externa

Maldito cotidiano
Que mantive ano após ano
Me mudou, não me engano
Hoje sou mais provinciano

-R.C.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s