Provocações

Por que não podemos ter o mar e a lua?

Na madrugada tu não se incomoda,

Sobre isso não insinua?

Ver que o lindo reflexo

É inatingível como a forma sua?

Ter ambas partes é impossível

Seria um grande risco factível

Para um suicídio plausível


Qual o motivo de ter escuro e claro?

Entendo a presença de luz

Mas cientificismo como este só merece escarro

Desmerece atenção

Não questiona também

Se a explicação somente seduz

E na verdade tudo é bizarro?

Liberta-te dessa religião

Aprisionadora por profissão

Predadora da liberdade que lhe darão


“Dê a um homem asas para voar

E, do sol, ele chegará próximo demais”

É frase dita sem questões reais

Qual o problema de se queimar?

Deixe ele tocar o horizonte

Trará visões lindas à todos

O fará de muitos modos

Mas nenhum pela sorte

De jogar dados


Sejamos realistas

Reclamemos o impossivel!

Lutemos sem vitórias previstas

Gritemos para mostrar uma melhoria visível

Pois sonhar alto é como desejar as coisas antes vistas

Seremos Ícaros e queimaremos nossas asas e o mundo

Esclareceremos a sociedade até o despresível tornar-se imundo

Sejamos todos Ismálias e suicidemos um modo de vida, da desigualdade oriundo

Não perca mais textos do Literatura de Metrô! Clique aqui e entre na nossa lista de e-mails!

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s